• Leandro Panareli

Como montar um home theater

Atualizado: 30 de Abr de 2018


Um sistema de cinema em casa é uma emocionante opção de entretenimento que oferece ao usuário uma experiência imersiva de visualização e audição. Os sistemas que oferecemos vão muito além de um simples “home-theater-in-a-box” (sistemas vendidos em lojas de eletrodomésticos), são sofisticados e customizáveis, vão desde um sistema 5.1 com caixas embutidas no forro e TV de LED até um sistema Dolby Atmos 9.1.6, projetor 4K, telão de alta definição e ambiente acusticamente preparado.


Aqui estão alguns itens que devem ser levados em consideração para executar um bom projeto de home theater:


1. Ambiente


Qual a intensiade da luz no ambiente?

Para as TVs, a luz ambiente pode resultar em reflexos na tela. Para projetores de vídeo, a luz ambiente pode resultar em uma imagem “lavada”.


Qual o tipo de piso do ambiente?

Isso afetará o som, especialmente os tons baixos, que reverberam por toda a área de audição. Os pisos rígidos serão mais reflexivos, o que pode resultar em ecos de som indesejados e graves irregulares. Tapetes podem ajudar na absorção de sons indesejados.


Que tipo de construção de parede e teto você tem?

O material utilizado na construção pode contribuir para as propriedades acústicas da sala.


Você irá colocar equipamentos em um rack ou em um armário. E seus alto-falantes, na parede, no piso ou no teto?

O estilo da sua decoração pode ser um fator determinante para o projeto do seu #home #theater e definirá qual o tipo de caixas acústicas serão utilizadas e onde serão instaladas. Além disso, o posicionamento dos alto-falantes, vão determinar qual será o melhor formato surround para seu ambiente.


Qual a distância entre o assento e a tela? Isso determinará o tamanho ideal da tela para a melhor experiência visual.

Antes de comprar seu equipamentos, pode ser uma boa ideia consultar um instalador de home theater para visitar o local, ele poderá avaliar seu ambiente e todas as questões acima. Ele fará sugestões úteis sobre componentes e conceitos de instalação que funcionam melhor no seu ambiente.


2. Fontes de mídia

Antes de escolher seu receiver determine quais fontes de mídia você irá utilizar (DVD, Blu-Ray, TV à cabo, Apple TV, toca discos e etc.)

Você gostaria de passar a mesma imagem em duas ou mais telas em ambientes diferentes? E o som? Alguns equipamentos permitem sons iguais ou diferentes em até 4 ambientes ou você pode optar por um sistema de som ambiente espalhado por toda a casa, que esteja conectado ao seu home theater.


3. Vídeo:

Este é o primeiro componente a se considerar para um sistema de home theater. Afinal, a ideia do cinema em casa é levar a experiência do cinema para casa. O elemento mais importante desta experiência é a experiência visual, onde o tamanho da tela é o que mais nos atrai e nos dá a sensação de imersão na cena.

É aqui que você tem que escolher entre um televisor full hd (1080p), um 4K Ultra HD ou uma combinação de projetor e tela de projeção. O tamanho da sala ajudará a determinar o tamanho da tela. A partir daí, podemos decidir que tipo de dispositivo seria mais apropriado.


4. Áudio - Receiver ou combinação de pré-amplificador + amplificador:

O próximo elemento essencial da experiência do cinema é o som. A maneira como isso é implementado em um sistema de home theater é através de um receiver ou uma combinação de pré-amplificador + amplificador. Um receiver geralmente combina três componentes:


1- Um sintonizador de rádio AM/FM, internet e satélite.


2- Um pré-amplificador/processador que permite a seleção das fontes de sinal de áudio e vídeo (como um reprodutor de Blu-ray / DVD, reprodutor de CD, etc.), controla o volume, processa e equaliza os sinais de áudio e os distribui para os canais de amplificação e saída do subwoofer. Ele também pode encaminhar sinais de vídeo provenientes dos componentes de origem (como um Blu-ray) e direcionar o sinal de vídeo para a TV. Alguns modelos podem ainda fazer o “upscaling”, que consiste em transformar uma imagem full hd em 4K.


3- Um amplificador de potência multi-canal (5.1, 6.1, 7.1 ou mais, canais) que envia os sinais de som surround e a alimentação do sistema de alto-falante.

O receiver é o coração de um sistema de home theater e fornece as entradas e saídas, onde você conecta tudo, incluindo a sua televisão. Ele é a maneira mais fácil e econômica de centralizar seu sistema de home theater.


No entanto, em muitas instalações de sistemas de cinema em casa de alto nível, as funções de um receiver são frequentemente substituídas por componentes separados: pré-amplificador/ processador, sintonizador e um único amplificador de potência multicanal ou mesmo amplificadores separados para cada canal.


Tal configuração proporciona mais flexibilidade para mudar ou atualizar os aspectos do sistema, além de isolar qualquer interferência causada por ter todas essas funções combinadas em um chassi de sinal e compartilhar a mesma fonte de energia. Para o consumidor médio, no entanto, um bom receiver funcionará muito bem.


5. Caixas acústicas

O tamanho e as características da sala serão determinantes para selecionar o tipo de caixas acústicas e o subwoofer que você deverá utilizar no seu home theater.


As caixas devem trabalhar com a mesma sensibilidade e impedância, e suas potências devem ser compatíveis com seu amplificador, por isso comprar suas caixas antes de definir seu amplificador pode ser um grande erro.


O subwoofer é a caixa que fará a diferença no seu sistema. Ele é responsável pelos tons graves, aqueles sons mais pesados, poderosos (como um trovão ou uma explosão) e deve ser selecionado e instalado com atenção para que não haja o surgimento de ondas estacionárias causando sobreposição de sons.


6. Condicionador de energia

Os protetores contra surtos são imprescindíveis para um sistema de home theater, afinal você está investindo em equipamentos com circuitos delicados e não vai querer passar pelo transtorno de enviar seus equipamentos para assistência técnica e ficar sem eles por semanas. Embora não sejam infalíveis, é sempre bom fornecer uma boa proteção ao sistema pois você nunca sabe quando haverá uma queda súbita de energia, ou mesmo um raio que pode afetar seu sistema. Além dos condicionadores a inclusão de “DPS” no seu quadro de energia pode aumentar a proteção do seu home theater e dos demais equipamentos da casa.


7. Cabos de conexão

De nada adianta comprar os melhores equipamentos e utilizar cabos sem procedência. Eles devem ser corretamente dimensionados e para isso deve-se levar em consideração a potência dos equipamentos, a distância que eles irão percorrer e o tipo de sinal que será trafegado. Os cabos HDMI são os que exigem maior atenção pois o mercado está cheio de materiais com informações incorretas. Você poderá não usufruir de toda a qualidade de sinais ethernet, full hd, 3D ou 4k, ou por exemplo ficar sem sinal em maiores distâncias.


9. Opções de controle

Uma das partes mais confusas de um sistema de home theater é o controle de todos esses componentes e conexões. Devido ao excesso de controles e sua complexidade, uma solução é optar por um sistema de automação que controle todos os equipamentos. Ele poderá ligar ou desligar, habilitar as entradas corretas, selecionar o canal preferido e te dar o controle de todos os equipamentos em uma única tela de smartphone.


10. Design

Seus equipamentos precisam de um local arejado, que possa ocultar a grande quantidade de cabeamentos e que tenham um design condizente com seu imóvel. Além de assentos confortáveis e acústica adequada, ​​que farão você querer passar mais tempo no seu home theater.


Nossa equipe pode auxilia-lo no projeto do seu ambiente e de todos os detalhes que envolvem seu home theater.


Agora que você já conhece todos os detalhes que envolvem um home theater, entre em contato conosco e solicite um orçamento!

0 visualização
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2018 por Michelle Albuquerque Interiores